Affordable Access

Sono e sonolência diurna em adolescentes do ensino médio

Authors
Publication Date
Source
Repositório Digital Institucional da UFPR
Keywords
License
Unknown
External links

Abstract

Resumo: Introdução: Os adolescentes podem apresentar redução das horas de sono e maiores prevalências de sonolência diurna excessiva em função da interação de fatores maturacionais, comportamentais e ambientais. Até o momento não se dispunha de prevalências de sonolência excessiva diurna, bem como da associação de inúmeros fatores com a baixa duração do sono em estudos populacionais com adolescentes brasileiros. Objetivo: Investigar as prevalências e os fatores associados com a baixa duração do sono, a sonolência diurna excessiva (SDE) e a sonolência na sala de aula (SSA) em adolescentes do ensino médio do município de Santa Maria – RS. Método: A amostra deste estudo foi formada por 1126 estudantes do ensino médio (55,1% do sexo feminino), de 13 a 21 anos, com idade média de 16,24(1,39), de escolas públicas do município de Santa Maria. As variáveis dependentes analisadas foram a duração do sono, a SDE e a SSA. Os fatores associados investigados abrangeram aspectos biológicos, ambientais e comportamentais. Análises bivariadas e multivariadas ajustadas foram realizadas. Resultados: 54,8% dos adolescentes apresentaram oito ou menos horas de sono nos dias com aula. As prevalências de SDE e de SSA foram de, 25% e 27,1%, respectivamente. Os rapazes apresentaram menor duração do sono (p=0,002), mas as moças apresentaram maiores prevalências de SDE (p=0,002) e SSA (p=0,02). Maiores tempos de deslocamento para a escola estiveram associados com menor duração do sono (p=0,046). Nos modelos finais de ajuste, a baixa duração do sono esteve associada ao turno escolar (p=0,016) e com a mudança de turno para a manhã (p<0,001). Os principais fatores associados à SDE foram a SSA (p<0,001), a sesta (p=0,001) e os distúrbios psíquicos menores (p=0,046). Com relação à SSA os principais fatores associados foram a mudança de turno para a manhã (p=0,047), a SDE (p=0,021) e a presença de distúrbios psíquicos menores (p=0,048). Além disso, os fatores bairro de residência, renda familiar, qualidade do sono, rinite alérgica provável, estresse, consumo de gordura e de álcool e o banho antes da escola estiveram associados com a SSA nas análises ajustadas. Conclusões: Mais da metade dos adolescentes investigados foi classificada com baixa duração do sono o que remete à necessidade de intervenções. Os distúrbios psíquicos menores e a mudança de turno para a manhã foram variáveis especialmente associadas a maiores indicadores de sonolência e baixa duração do sono. O banho antes da escola pode ser uma possível recomendação para diminuir os níveis de sonolência na sala de aula. O incentivo ao deslocamento ativo deve ser realizado com cuidado para que este não reduza ainda mais a duração do sono dos adolescentes.

Statistics

Seen <100 times