Affordable Access

Potencial do líquido da casca do coco verde para o controle de doenças de plantas.

Authors
  • SANTOS, A. J. dos
  • TALAMINI, V.
  • NUNES, M. U. C.
  • OLIVEIRA, F. A. de
  • SANTOS, F. J. dos
Publication Date
Dec 29, 2021
Source
Repository Open Access to Scientific Information from Embrapa
Keywords
License
Unknown
External links

Abstract

O líquido da casca do coco verde (LCCV) é um resíduo gerado no processamento do fruto, sendo considerado poluidor do meio ambiente e rico em taninos e compostos fenólicos. Diante da composição do LCCV, o objetivo deste trabalho foi testar este resíduo para o controle de doenças de plantas usando o tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill.) como planta modelo. Para tanto, foi instalado um experimento no delineamento inteiramente ao acaso com 5 tratamentos (0%, 5%, 10%, 15% e 20% de LCCV) e 5 repetições representadas cada uma por um vaso com uma planta de tomate. Após três meses do plantio definitivo, as aplicações dos tratamentos com o LCCV foram iniciadas e realizadas semanalmente. Para cada concentração de LCCV, 200 mL foram aplicados por planta. O fitopatógeno Alternaria solani foi inoculado dois meses antes do início dos tratamentos com o LCCV na concentração de 1x104 conídios/mL em todas as unidades experimentais. A septoriose causada pelo fungo Septoria lycopersici ocorreu de forma natural. As avaliações da severidade das doenças foram realizadas aos quatro meses após o plantio, usando a diagramática proposta por Mello et al. (1997) e submetidos à análise de regressão. Os valores de severidade da mancha-de-alternaria e da septoriose não foram afetados significativamente pelas diferentes concentrações de LCCV testadas.

Report this publication

Statistics

Seen <100 times