Affordable Access

“PARA ASSIM MELHOR CONSERVAR A DESUNIÃO”: O PATRIMÔNIO RELIGIOSO E FORMAÇÃO DA VILA DE DIVINA PASTORA (1782-1818)

Authors
  • Santos, Ane Luise Silva Mecenas
Publication Date
Dec 31, 2016
Source
Sæculum – Revista de História
Keywords
Language
Portuguese
License
Unknown
External links

Abstract

Em 1816, o coronel José Bernardino de Sá Souto Maior enviar um requerimento à Mesa de Consciência e Ordens solicitando que os bens que havia doado a capela de Divina Pastora, fosse conservados na localidade após a sua morte. O coronel possuía um vasto patrimônio e além de ser o responsável pela doação das terras para construção da igreja, havia financiado a obra, comprado as alfaias e concedido propriedades para a manutenção e preservação do templo. Essa simples solicitação é indício para compreender os conflitos que ocorreram nas terras da Divina nos anos de 1616 a 1618. As desavenças envolviam o coronel com o vigário da freguesia de Jesus, Maria José e São Gonçalo pelo administração dos bens. A partir dessa disputa o presente trabalho busca analisar a formação do patrimônio religioso e urbano da vila de Divina Pastora. Visto que as discussões acerca da posse dos objetos sagrados de uma pequena freguesia sergipana tornaram-se o lastro de uma longa batalha perpetrada no campo judicial, com um processo que passou por várias instâncias no debate sobre uma questão inerente ao catolicismo luso-brasileiro: a inserção de leigos na administração dos templos e do patrimônio religioso.

Report this publication

Statistics

Seen <100 times