Affordable Access

Knowing left from right: ideological identification in Brazil, 2002-2006

Authors
Publisher
Deutschland
Publication Date
Keywords
  • Social Sciences
  • Sociology
  • Anthropology
  • Political Science
  • Sozialwissenschaften
  • Soziologie
  • Politikwissenschaft
  • Political Science
  • Brazil
  • Ideology
  • Left-Wing Orientation
  • Socio-Political Behavior
  • Public Opinion
  • Ciencia Política
  • Brasil
  • Ideología
  • Orientación De Izquierdas
  • Comportamiento Sociopolítico
  • Opinión Pública
  • Recent
  • Two-City Samples
  • Reciente
  • Sociology Of Developing Countries
  • Developmental Sociology
  • Political Process
  • Elections
  • Political Sociology
  • Political Culture
  • Entwicklungsländersoziologie
  • Entwicklungssoziologie
  • Politische Willensbildung
  • Politische Soziologie
  • Politische Kultur
  • Brasilien
  • Entwicklungsland
  • Lateinamerika
  • Recht
  • Südamerika
  • Wissen
  • Ideologie
  • Politische Ideologie
  • Politische Linke
  • Politische Rechte
  • Wahlsystem
  • Wahlverhalten
  • Selbsteinschätzung
  • Antwortverhalten
  • Identifikation
  • Brazil
  • Developing Country
  • Latin America
  • Law
  • South America
  • Knowledge
  • Ideology
  • Political Ideology
  • Political Left
  • Political Right
  • Electoral System
  • Voting Behavior
  • Self-Assessment
  • Response Behavior
  • Identification
  • Empirical
  • Quantitative Empirical
  • Empirisch
  • Empirisch-Quantitativ

Abstract

Ideologia, geralmente definida no espectro esquerda-direita, deveria servir como um meio de comunicação entre elites e as massas. Após anos de governo de um partido esquerdista, os eleitores brasileiros internalizaram divisões ideológicas? Análises longitudinais conduzidas entre 2002 e 2006 revelam um alto nível de não-resposta e instabilidade em auto-classificação ideológica. Descobrimos que a capacidade de pensar ideologicamente é em parte uma função do contexto político e social. Essa capacidade tem conseqüências políticas concretas. Uma análise de dados através do Modelo de Seleção de Heckman revela que aqueles que se recusam a adotar uma posição ideológica ou que exibem altos níveis de instabilidade em auto-classificaçãoideológica tendem a ser direitistas em potencial e a escolher candidatos de direita a presidente. Alem disso, eles interpretam o espectro ideológico de modo diferente daqueles que são mais consistentes em sua classificação ideológica. Assim, fazemos duas contribuições, mostrando que fatores contextuais influenciam o pensamento ideológico e que baixos níveis de pensamento ideológico afetam a mensuração da opinião pública brasileira.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.