Affordable Access

"Every man do his ting a little way different": poética, política e dissenso entre rastas em Kingston, Jamaica

Authors
  • Araujo, Felipe Neis
Publication Date
Jan 01, 2018
Source
Repositório Institucional da UFSC
Keywords
Language
Portuguese
License
Unknown
External links

Abstract

Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Florianópolis, 2018. / Esta tese é uma etnografia dos modos de diferenciação mobilizados por Rastas em Kingston, Jamaica. Não se trata apenas de pensar em como Rastas se diferenciam de não-Rastas, mas também, e especialmente, como Rastas se diferenciam de outros Rastas. O foco está voltado para os modos como diferentes pessoas e coletivos Rastafari em Kingston e seus arredores articulam conceitos e práticas relacionados ao tropo do Retorno à África ou Repatriação ; como narram e mobilizam histórias sobre o passado e o futuro na Jamaica e na África e como fazem diferentes usos e reflexões sobre os usos da ganja. A abordagem destes temas sob o viés dos modos de diferenciação dialoga com um dos objetivos centrais desta tese: criticar a ideia recorrente na literatura sobre o Rastafari jamaicano que postula a existência de um núcleo comum de crenças ou princípios subjacente às variações pragmáticas. Como conclusões eu afirmo que as parte percebidas por pesquisadores como pertencentes a um núcleo comum aquilo que se reivindica como raízes africanas, a vontade de Repatriação, a divindade de Haile Selassie I e, certamente, o uso da ganja são pensadas e mobilizadas de modos diferentes de acordo com as motivações políticas e afetivas de cada pessoa ou coletivo Rastafari. Além disso, eu mobilizo a ideia de que os dissensos semióticos e políticos entre Rastas não são características negativas ou prejudiciais ao Movimento Rastafari. São justamente estes dissensos que lhe dão vida e estimulam diálogos constantes entre o presente, o passado e o futuro, fazendo de seu repertório simbólico não um arquivo estático, mas sim um arquivo generativo que, ao ser acionado, alimenta as dinâmicas reflexivas de transformação do Movimento. / Abstract : This dissertation is an ethnography of the modes of differentiation mobilized by Rastas in Kingston, Jamaica. I am not interested only in how Rastas differentiate from non-Rastas, but also, and especially, in how Rastas differentiate from other Rastas. The focus is on the modes through which different Rastafari individuals and collectives in and around Kingston articulate concepts and practices related to the trope of the Return to Africa or Repatriation ; how they tell and mobilize stories about the past and the future in Jamaica and Africa and how they make different uses and incur in different reflections on the uses of ganja. The approach to these themes through a perspective which emphasizes the modes of differentiation dialogues with one of the main objectives of this dissertation, which is to mobilize a critique to the recurrent idea present in the literature on the Jamaican Rastafari that postulates the existence of a common core of beliefs or principles underlying its pragmatic variations. As a conclusion, I assert that the parts perceived by researchers as belonging to a common core what is claimed as African roots, the will for Repatriation, the divinity of Haile Selassie I, and certainly the uses of ganja are thought of and mobilized in different modes according to the political and affective motivations of each Rastafari person or collective. Furthermore, I mobilize the idea that the semiotic and political dissents between Rastas are not negative or detrimental to the Rastafari Movement. It is precisely these dissents that give life to the Movement and stimulate constant dialogues between the present, the past and the future, making its symbolic repertoire not a static archive, but a generative archive which, when activated, feeds the reflexive dynamics of transformation of the Movement.

Report this publication

Statistics

Seen <100 times