Affordable Access

Entre soberanos negros e senhores de escravos : o processo de inserção internacional do Haiti e sua coexistência com os Estados Unidos de 1825 a 1850.

Authors
  • Sousa Junior, Nelson Veras de
Publication Date
Dec 18, 2019
Source
Repositório Institucional da Universidade de Brasília
Keywords
License
Unknown
External links

Abstract

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de História, 2019. / O surgimento soberano do Haiti no sistema atlântico do século XIX representou um desafio não apenas às instituições do colonialismo e da escravidão que ainda dominavam a maior parte do continente americano, mas à própria concepção do sistema internacional compartilhado entre a Europa e as Américas. Como resultado, o país teve um processo de inserção internacional muito mais lento e conturbado que o restante do continente. Ao longo desse processo, destaca-se a resistência dos Estados Unidos ao estabelecimento de relações formais com o Haiti. A manutenção do sistema escravista norte-americano mostrou-se incompatível com o reconhecimento da capacidade de autodeterminação e autogoverno de uma nação negra, especialmente em decorrência da influência desproporcional que a classe de proprietários de escravos exerceu na política externa norte-americana. O presente trabalho se dedica à uma análise do sistema internacional europeu na primeira metade do século XIX, das estratégias haitianas de inserção internacional e da interação diplomática entre o Haiti e os Estados Unidos entre 1825 e 1850. / Haiti's sovereign emergence in the nineteenth-century Atlantic system posed a challenge not only to the institutions of colonialism and slavery that still dominated most of the American continent, but to the very conception of the international system shared between Europe and the Americas. As a result, the country had a much slower and troubled process of international insertion than the rest of the continent. Throughout this process, the United States' resistance to establishing formal relations with Haiti stands out. Maintaining the American slave system proved incompatible with the recognition of a black nation's capacity for self-determination and self-government, especially as a result of the disproportionate influence that the slaveholder class exerted on US foreign policy. This dissertation is devoted to an analysis of the European international system in the first half of the nineteenth century, the Haitian strategies of international insertion and the diplomatic interaction between Haiti and the United States between 1825 and 1850.

Report this publication

Statistics

Seen <100 times