Affordable Access

A ambigüidade em perfis da floresta e extinção estimada por interferometria SAR através de múltiplas linhas de base

Authors
Publisher
Universidade Federal do Paraná-UFPR
Publication Date
Keywords
  • Geociências
  • Geodésia
  • Interferometry
  • Forest
  • Extinction Coefficient
  • Sar
  • Insar
  • Remote Sensing

Abstract

Esse artigo procura demonstrar, por simulação, que na estimativa de perfis de volume da vegetação por interferometria com múltiplas linhas de base, o pico de extinção não é adequadamente determinado pela coerência interferométrica e fase, com acurácias típicas de InSAR. Esse pico determina a densidade global, afetando os perfis de densidade relativa da vegetação estimados por interferometria. Esse trabalho mostra que para um dado perfil de potência-radar há uma série de perfis de densidade da vegetação, dependendo do pico de extinção assumido. É ainda demonstrado que a estimativa do pico de extinção requer exatidões de coerência melhores que 0,1%, bem como, de acurácias de fases que alguns décimos de graus, valores esses que atualmente excedem o desempenho de sistemas SAR em operação ou aqueles previstos. As duas abordagens recomendadas para a produção de perfis com InSAR são: (1) utilizar o perfil-radar, ao invés do perfil de densidade de vegetação, para estimação de biomassa e outras caracterizações de ecossistema (em nalogia à potência-lidar, a qual é mais frequentemente utilizada nos estudos de biomassa baseados em LIDAR); ou (2) aplicar informação externa para estabelecer as características de extinção necessárias aos perfis de densidade de vegetação.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.