Affordable Access

Aplicação de metodos quimiometricos de ordem superior e fluorescencia molecular na analise em matrizes biologicas

Authors
Publisher
Biblioteca Digital da Unicamp
Publication Date
Keywords
  • Quimiometria
  • Fluorescencia
  • Leite
  • Sangue

Abstract

Este trabalho trata da aplicação de métodos quimiométricos de ordem superior e fluorescência molecular no desenvolvimento de novas metodologias analíticas, sem o auxílio de métodos de separação ou pré-concentração, na análise direta de espécies moleculares em amostras biológicas. Para tanto, foram empregados a técnica de fluorimetria (EEM-MF) e os métodos quimiométricos PARAFAC e N-PLS para a determinação direta de doxorrubicina (DXR) em plasma humano e vitamina B2 em leite bovino. Para a quantificação de DXR em plasma, foram obtidas 10 amostras de sangue de indivíduos sadios, sem a presença prévia de DXR. Cada amostra gerou uma matriz de dimensões 262x56 (comprimentos de onda de emissão x excitação), na faixa de 510 a 650 nm e 390 a 500 nm, respectivamente. O PARAFAC foi empregado para a decomposição espectral das EEM-MF, referente às amostras de sangue humano. Dois fatores foram obtidos, sendo que um deles foi atribuído à presença de DXR e outro à fluorescência natural do sangue devido, principalmente, à presença de riboflavina e bilirubina. A partir dos scores obtidos pela decomposição com PARAFAC, realizou-se a quantificação, resultando em um RMSECV de 0,060 mg mL. O N-PLS também foi empregado para a quantificação, gerando um RMSECV de 0,045 mg mL. A análise de vitamina B2 em amostras de leite desnatado e integral foi realizada com a obtenção de EEM-MF na faixa espectral de emissão 470 a 670 nm e de excitação 310 a 500 nm, produzindo uma matriz de dimensões 401x20. A partir de 10 amostras, 5 de leite integral e 5 de leite desnatado, todas com concentrações desconhecidas de vitamina B2, o método PARAFAC foi empregado para as decomposições espectrais e, a partir de adição padrão, realizadas as quantificações. As mesmas amostras foram analisadas por HPLC, e os desvios entre os resultados das duas metodologias encontram-se abaixo de 5%.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.