Affordable Access

Análise do potencial de Eulimnadia spp (Crustacea: Branchiopoda, Diplostraca, Limnadiidae) como bioindicador de toxicidade em corpos d'água doce

Authors
Publisher
Centro de Estudos Ambientais - UNESP/Rio Claro
Publication Date

Abstract

Microsoft Word - Documento1 ANÁLISE DO POTENCIAL DE Eulimnadia spp (CRUSTACEA: RANCHIOPODA, DIPLOSTRACA, LIMNADIIDAE) COMO BIOINDICADOR DE TOXICIDADE EM CORPOS D’ÁGUA DOCE. Ferreira-Oliveira, L.G.; Emke-Oliveira M. e Brossi-Garcia, A L. Universidade Estadual Paulista – UNESP –Campus Rio Claro Centro de Estudos Ambientais [email protected]; [email protected]; [email protected] Conchostráceos são pequenos crustáceos típicos de corpos d’água doce efêmeros, mas que podem também habitar margens de rios e lagos permanentes. O gênero Eulimnadia tem grande distribuição geográfica, sendo encontrado ao redor do mundo em climas tropicais, subtropicais e temperados. Exemplares coletados na região de Nova Lima, no Estado de Minas Gerais, estão sendo cultivados em laboratório para estudos taxonômicos, etológicos e genéticos, bem como para ensaios ecotoxicológicos. Esses crustáceos cumprem uma série de pré-requisitos para serem utilizados como organismos-teste. São crustáceos de pequeno porte e ciclo de vida não muito longo (em torno de 35 dias), são abundantes e disponíveis ao longo do ano, têm ampla distribuição geográfica, têm boa estabilidade genética e possibilitam a obtenção de lotes uniformes de organismos em laboratório. Foi feita uma análise da água do aquário onde foi adicionado solo contendo cistos desses crustáceos usando-se um Espectrofotômetro de Emissão Óptica com Fonte de Plasma Acoplado Indutivamente (ICP-OES). Como o solo coletado procede de uma região de mineração, os níveis de Ferro e de Manganês encontrados foram relativamente altos, porém os conchostráceos encontram-se adaptados a estas concentrações destes metais, visto que estão comumente presentes no seu habitat. Estão sendo conduzidos testes de toxicidade aguda e crônica com exemplares de Eulimnadia spp cultivados em laboratório, usando-se a mesma metodologia aplicada aos testes com Dahpnia spp e Ceriodaphnia spp (normas ABNT 12713 e 13373). Os resultados permitirão avaliar o potencial de Eulimnadia s

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.