Affordable Access

Publisher Website

Bronchopulmonary dysplasia: Clinical practices in five Portuguese neonatal intensive care units

Authors
Publisher
Elsevier España
Volume
16
Issue
2
Identifiers
DOI: 10.1016/s2173-5115(10)70035-x
Keywords
  • Bronchopulmonary Dysplasia
  • Neonatal Intensive Care
  • Preterm Infants
  • Better Practices
  • Mechanical Ventilation
  • Oxygen Therapy
  • Prenatal Corticosteroids
  • Sepsis
  • Patent Ductus Arteriosus
  • Displasia Broncopulmonar
  • Cuidados Intensivos Neonatais
  • Recém-Nascidos De Pré-Termo
  • Boas Práticas
  • Ventilação Mecânica
  • Oxigénio
  • Corticosteróides Pré-Natais
  • Sépsis
  • Canal Arterial Patente

Abstract

Resumo Com o advento do surfactante, dos corticosteróides pré-natais e dos avanços na tecnologia, a sobrevida dos recém-nascidos de extremo baixo peso tem melhorado dramaticamente. As taxas de displasia broncopulmonar (DBP) variam amplamente entre unidades, e vários estudos, avaliando resultados de múltiplas intervenções, têm mostrado alguma melhoria na prevalência da DBP. A implementação de potenciais boas práticas na DBP tem sido adoptada por muitos serviços nas últimas décadas. Objectivo Comparar cinco unidades portuguesas de cuidados intensivos neonatais no que se refere as práticas clínicas no tratamento dos recém-nascidos de muito baixo peso, para desenvolver e melhorar as boas práticas na prevenção da DBP. População e métodos Foram estudados 256 recém-nascidos com a idade gestacional inferior a 30 semanas e/ou peso ao nascer inferior a 1250g, admitidos nas cinco unidades portuguesas (centros 1 a 5) entre 1 de Janeiro de 2004 e 31 de Dezembro de 2006. Foram excluídos os recém-nascidos com malformações major, hemorragia intraventricular grau IV na primeira semana de vida e com doença metabólica ou neuromuscular. Definimos DBP como a dependência do oxigénio às 36 semanas de idade pósconcepcional. A necessidade de melhorar determinada prática foi considerada significativa sempre que se verificava uma melhoria superior a 10% na prevalência da DBP ajustada para a prática, idade gestacional e peso ao nascer, comparada com a prevalência ajustada só para a idade gestacional e peso ao nascer. Resultados A prevalência global da DBP foi de 12,9%. Os resultados mostram que o uso de corticosteróides pré-natais deve ser melhorado nos centros 4 e 5; a política de fluidos deve ser melhorada no centro 4; o uso de oxigénio e a prevenção da sépsis deve ser melhorada nos centros 1 e 2. O tratamento do canal arterial patente deve ser melhorado no centro 2. Conclusão Neste estudo, a implementação de boas práticas para reduzir a lesão pulmonar nos recém-nascidos, de acordo com cada unidade, deve ser dirigida ao aumento da prescrição de corticosteróides pré-natais, ao uso de menor FiO2, ao uso criterioso de líquidos na primeiras semanas de vida, à prevenção do canal arterial patente e da sépsis. Guidelines, recomendações ou protocolos são necessários na melhoria da qualidade na prevenção da DBP.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.