Affordable Access

CALOGÊNESE EM DIFERENTES ESTACAS DE CAQUIZEIRO TRATADAS COM FRIO E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO

Authors
Publisher
Universidade Federal do Paraná
Publication Date

Abstract

Objetivou-se avaliar a influência da época de coleta, tratamento com frio e doses de ácido indolbutírico (AIB) na calogêneseem estacas de caquizeiro �Fuyu�. Formulou-se a hipótese que sendo o caquizeiro uma espécie que apresenta dormência em intensidades variadas durante o outono e inverno, então o crescimento celular necessário à calogênese é influenciado pela época do ano e pelo efeito do frio, que juntos podem tornar as células responsivas à ação das auxinas. Os ramos foram coletados em 29/08 (estacas lenhosas) e 21/02 (estacas semi-lenhosas) e em cada época, metade dos ramos foi tratada com 504 horas de frio (4 a 7° C) e metade foi submetidaà estaquia após tratamento com AIB (0, 1.000, 2.000 e 3.000 mg L-1). Determinou-se a velocidade de brotação das gemas e após 60 dias foram avaliadas a porcentagem de estacas com calo, brotadas, dormentes e mortas. A calogênese foi maior (20,83 %) nas estacas semi-lenhosas não tratadas com frio. Nas estacas lenhosas não houve formação de calos. Nas estacas semi-lenhosas a velocidade de brotação foi menor que nas estacas lenhosas mas nestas últimas houve maior mortalidade (90,04 %). O tratamento com AIB não influenciou a calogênese. Concluiu-se que a calogênese foi favorecida nas estacas semi-lenhosas não tratadas com frio. A velocidade de brotação foi mais intensa nas estacas lenhosas e tratadas com frio. As estacas semi-lenhosas apresentaram-se mais dormentes, principalmente as submetidas ao tratamento com frio. Houve um maior percentual de estacas mortas entre as estacas lenhosas tratadas com frio.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.