Affordable Access

Condições atmosféricas favoráveis à formação de ressacas

Authors
  • Silva, Marcely Sondermann da
  • Chou, Sin Chan
Publication Date
Jan 01, 2020
Source
Biblioteca Digital da Memória Científica do INPE
Keywords
Language
Portuguese
License
Unknown
External links

Abstract

As zonas costeiras estão entre as áreas mais vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas. Santos é uma importante cidade costeira do Estado de São Paulo e sua vulnerabilidade à variabilidade e às mudanças climáticas está relacionada a sua alta densidade populacional e às importantes atividades econômicas, como a presença do maior porto da América do Sul. Eventos de ressaca têm se tornado mais frequentes desde o final dos anos 90, conforme registrado por observações ao longo da costa do Estado de São Paulo, podendo causar transtornos à navegação e às atividades portuárias. O objetivo do presente trabalho é caracterizar as condições atmosféricas de grande escala favoráveis à formação de ressacas no litoral de Santos. Esse fenômeno pode ser definido com base na altura significativa da onda, Hs, e no seu tempo de permanência. Neste trabalho, considera-se ressaca quando Hs é igual ou superior a 2,5 metros e possui duração de pelo menos 24 horas. São utilizados dados horários de onda (altura significativa da onda) e atmosféricos (pressão ao nível médio do mar, intensidade e direção do vento) provenientes da reanálise ERA5, com resolução de 0,5° x 0,5° e 0,25° x 0,25°, respectivamente. São encontrados 89 casos de ressaca para os meses de maio utilizando o período de 1981 a 2010 (clima presente). Para identificar os padrões atmosféricos, utiliza-se a técnica de agrupamento conhecida como K-means que particiona o conjunto de casos de ressaca em um número de grupos onde cada evento pertence ao grupo mais próximo da média. São encontrados três padrões atmosféricos favoráveis à formação do fenômeno para o mês de maio. O primeiro padrão é caracterizado pela presença de um ciclone no litoral de Santos com ventos paralelos à costa e com intensidade superior a 8 m/s. O segundo, com 23 casos, apresenta uma pista de ventos no oceano com velocidade superior a 8 m/s, formada por um sistema de alta pressão ao sul e uma baixa pressão ao norte no Oceano Atlântico Sul. Neste caso, os ventos incidem perpendicular à costa de Santos. O terceiro padrão apresenta o maior número de eventos (58 casos) e é caracterizado por ventos de sudoeste provenientes de uma alta pressão sobre o continente.

Report this publication

Statistics

Seen <100 times