Affordable Access

História, Natureza e Cultura: algumas perspectivas historiográficas recentes

Authors
Publisher
EDUNIOESTE
Publication Date
Source
Legacy

Abstract

diagrama_plural_14parapdf.pmd Espaço Plural — Ano VI - Nº 14 - 1º Semestre de 2006 — Versão eletrônica disponível na internet: www.unioeste.br/saber O presente texto faz parte do projeto de iniciação científica intitulado Percepções do processo de ocupação territorial e de construção de espaços de moradia emMarechal Cândido Rondon(1950-1960): memória, cidade e meio ambiente,1 que propõe uma reflexão teórica, tendo como objetivo, apresentar possibilidade de estudo sobre história e meio ambiente, na História, através da análise de alguns trabalhos que têm se dedicado a esta temática. Pensar historicamente a natureza é ponderar sobre uma variedade de atores sociais que nela habitaram ou por ela transitaram. Estudar a natureza é refletir sobre a sua apropriação pela ação humana, e ao mesmo tempo, como historicamente diferentes indivíduos e grupos sociais circularam e deixaram suas marcas específicas na natureza. Nos últimos anos, tem aumentado o número de trabalhos de história sobre natureza e meio ambiente no Brasil. O conceito de História Ambiental é relativamente recente no país. Em termos internacionais, pelo menos desde a década de 1970, vários trabalhos vêm sendo desenvolvidos sob essa abordagem, por conta dos debates sobre as conseqüências da degradação ambiental, tais como, a expansão urbana para áreas não habitadas e o desmatamento. Este processo predatório que os homens iniciaram na natureza há muito tempo foi motivo para o surgimento do movimento ambiental e para uma conscientização ambiental por parte da população. Deve-se frisar que o movimento ambientalista “rejeita a premissa convencional de que a experiência humana se desenvolveu sem restrições naturais, de que os humanos são uma espécie distinta e ‘supernatural’, de que as conseqüências ecológicas dos seus feitos passados podem ser ignoradas”.2 O que se pode entender é que os ambientalistas discordam da idéia de que o homem não possui nenhuma relação com a natureza. Para eles, o meio influencia na formação do homem. O f

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.