Affordable Access

FORMAÇÃO DE ESTRUTURAS AGRÁRIAS E SEU DINAMISMO NA ZONA DA MATA MINEIRA (JUIZ DE FORA E MURIAÉ, SÉCULO XIX)

Authors

Abstract

Microsoft Word - D06A054.doc FORMAÇÃO DE ESTRUTURAS AGRÁRIAS E SEU DINAMISMO NA ZONA DA MATA MINEIRA(JUIZ DE FORA E MURIAÉ, SÉCULO XIX) Rômulo Garcia de Andrade Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro RESUMO A pesquisa envolveu quatro freguesias da Zona da Mata mineira e 1.221 Registros Paroquiais de Terras. Apesar das imprecisões, as declarações paroquiais permitiram organizar um esboço de cadastro de terras em meados do século XIX, enfatizando o modo como o solo foi apropriado, a relação jurídica – terras próprias, terras comuns, sesmarias, posse, herança -, o valor, o nível de alfabetização e nomes dos proprietários, dimensões e limites; destacando, a par da relação jurídica, a identificação da forma de apropriação da terra (sítio, fazenda, porção de terras, etc...) PALAVRAS-CHAVE: História Agrária, História da Zona da Mata Mineira, Sistemas Escravistas Formação de Estruturas Agrárias e seu Dinamismo na Zona da Mata Mineira (Juiz de Fora e Muriaé, Século XIX) [ 1 Introdução ] Em sua abordagem da tipologia das fontes da história da agricultura no Brasil, Maria Yedda Linhares e Francisco Carlos Teixeira da Silva argumentaram que é notória entre nós a raridade de documentação diretamente vinculada à estrutura fundiária, ou seja, os variados cadastros feitos em âmbito nacional ou provincial/estadual: à exceção dos registros realizados em 1856-57 devido à Lei de Terras de 1850, temos à disposição o cadastro do INCRA de princípio dos anos 1970. Não se desconhece a existência de enquetes particulares para as províncias e Estados anteriormente a essa última data. Porém, “o caráter desigual dos quesitos formulados, dos depoentes cuja categoria social é raramente assinalada (senhores de terra, lavradores sem terra, posseiros), das regiões contempladas, os torna inutilizáveis de forma serial” (1981, p.93) Tendo o cadastro do INCRA caráter extremamente contemporâneo, resta para nós como fonte de tipo histórico propriamente dito os referidos registros de 1856-57, que, ent

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.