Affordable Access

INTERVIEW WITH JOSE ARTHUR GIANNOTTI

Authors
Journal
Trans/Form/Ação
0101-3173
Publisher
SciELO
Publication Date

Abstract

Universidade de São Paulo 2011 INTERVIEW WITH JOSE ARTHUR GIANNOTTI Trans/Form/Ação, v.34, Special Issue, p.15-23, 2011 http://producao.usp.br/handle/BDPI/21110 Downloaded from: Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI, Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Outros departamentos - FFLCH/Outros Artigos e Materiais de Revistas Científicas - FFLCH/Outros Trans/Form/Ação, Marília, v. 34, p. 1-218, 2011. Edição especial. 15 ENTREVISTA COM JOSÉ ARTHUR GIANNOTTI1 JOSÉ ARTHUR GIANNOTTI — ex-professor livre docente do Departamento de Filosofi a da Faculdade de Filosofi a, Letras e Ciências Humanas da USP. Autor de John Stuart Mill, o psicologismo e a fundamentação da Lógica (1961) e Origens da Dialética do Trabalho (1966) — este último traduzido para o espanhol e francês. Escreveu vários artigos e ensaios; entre eles destacam-se “O ardil do trabalho” e “O que é fazer”, ambos publicados pela revista Estudos, Cebrap, n.°s 4 e 9. Atualmente faz parte de um grupo de pesquisadores reunidos em torno do Centro Brasileiro de Planejamento (Cebrap). Como interpreta toda a sua produção teórica? Haveria um projeto comum, uma “linha mestra”, que a percorre? Teria havido rupturas, “cortes epistemologicos”? Quais e em que momentos? Vamos a primeira parte da questão. Linha mestra..., diria, muito mais, uma obsessão. Já em meu primeiro trabalho, me ocupei com o empirismo; no último, agora publicado nos Estudos CEBRAP (n.° 9), retomei o mesmo problema. No fundo reside a obsessão da recusa do empirismo, a ideia fi xa a respeito do universal, do conceito cuja constituição não se liga exclusivamente a semelhança. Obviamente, o exercício dessa obsessão não foi linear. De acordo com as infl uências que recebi, os estudos que fi z, aprofundei esta ou aquela direção. É fundamental assinalar o encontro com Marx. No que diz respeito à segunda parte, não creio que tenha havido qualquer corte epistemológico, pois desconfi o muit

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.