Affordable Access

A articulação do etanol como elemento de cooperação Sul-Sul

Authors
  • Zan, Felipe Cândido da Silva [UNIFESP]
Publication Date
Jan 28, 2022
Source
Repositório Institucional UNIFESP
Keywords
Language
Portuguese
License
Unknown
External links

Abstract

O objetivo deste artigo é observar a importância do etanol - enquanto recurso energético - como ferramenta de desenvolvimento nacional e projeção no Sistema Internacional. Sendo assim, deseja-se conhecer os motivos que impulsionaram a escolha deste elemento e o impacto político gerado na Índia, no Brasil e na África do Sul. Para isso, terá como ponto de partida a criação do ProÁlcool brasileiro em 1975 e a articulação realizada pelos governos em torno do tema até 2010, com o fim do governo Lula. São duas as hipóteses deste trabalho: a primeira se relaciona às vantagens apresentadas pelos países em questão no que concerne ao cultivo da cana-de-açúcar e a subsequente obtenção do combustível. Verificaria, assim, se a facilidade do acesso ao recurso energético e a disposição de instrumentos para possibilitar uso político, teriam sido determinantes para a escolha do etanol como ferramenta de cooperação. Com sua corroboração, demonstraria a capacidade do combustível como forma de projetar poder. A segunda hipótese aponta para a modalidade de cooperação Sul-Sul como alternativa às desigualdades inerentes à tradicional relação Norte-Sul. Propõe que semelhanças entre Índia, Brasil e África do Sul, seriam determinantes para a constituição de formas mais legítimas de cooperação, com reais ganhos e chances de participação e intercâmbio em amplos aspectos. Visando a confirmação da efetividade na busca pelo desenvolvimento por meio de novas parcerias com o Sul global, que se apresenta cada vez mais influente no Sistema Internacional descentralizado. A metodologia adotada neste trabalho histórico-monográfico emprega fontes qualitativas, secundárias, aplicando o método hipotético dedutivo. / The main objective of this article is to observe the importance of ethanol - as an energy resource - as a tool for national development and projection in the International System. The aim is to understand the reasons behind the choice of this element and the political impact it has had on African countries, India and Brazil. In order to do this, the starting point will be the creation of Brazil's Pro-Alcohol program in 1975 and the articulation made by governments around the theme until 2010, when the Lula administration came to an end. There are two hypotheses in this work: the first is related to the advantages presented by the countries in question in terms of sugarcane cultivation and the subsequent production of fuel. It would thus verify whether the ease of access to the energy resource and the availability of instruments to enable its political use were determining factors in the choice of ethanol as a cooperation tool. With its corroboration, it would demonstrate the fuel's capacity as a way to project power. The second hypothesis points to the South-South cooperation modality as an alternative to the inequalities inherent in the traditional North-South relationship. It proposes that similarities between African countries, India and Brazil, would be determinant for the constitution of more legitimate forms of cooperation, with real gains and chances of participation and exchange in broad aspects. As a result, it would confirm the effectiveness in the search for development through new partnerships with the global South, which is increasingly influential in the decentralized International System. The scientific methodology adopted in this historical-monographic uses qualitative, secondary sources, applying the hypothetical deductive method. / Não recebi financiamento

Report this publication

Statistics

Seen <100 times