Affordable Access

Resistencia a fratura de raizes bovinas restauradas com pino de fibra de vidro, nucleos esteticos e coroa livre de metal

Authors
Publisher
Biblioteca Digital da Unicamp
Publication Date
Keywords
  • Resinas Compostas
  • Cimentos Dentarios
  • Ionomeros
  • Restauração (Odontologia)
  • Dentistica

Abstract

Quando se utilizam pinos de fibra de vidro, a porção coronária deve ser reconstruída empregando materiais estéticos como resina composta, resina modificada por poliácido, ionômero de vidro convencional ou modificado por resina, para dar proteção e estabilidade à coroa protética. Assim, o propósito deste estudo foi avaliar a resistência à fratura de raízes bovinas restauradas com pino de fibra de vidro associado a quatro materiais estéticos para núcleo, indicados para restaurações estéticas, e coroa total em resina composta indireta. Quarenta raízes bovinas tratadas endodonticamente foram inseridas em cilindros de resina poliestirênica, simulando-se o espaço do ligamento periodontal. Pinos de fibra de vidro foram cimentados com agente para cimentação resinoso e as raízes separadas em quatro grupos experimentais com dez unidades cada, de acordo com o tipo de material empregado para a confecção de núcleo: resina composta (RC), resina modificada por poliácido (RM), ionômero de vidro convencional (IV) e ionômero modificado por resina (1M). Coroas livres de metal confeccionadas em resina composta indireta - Solidex ? foram cimentadas sobre os núcleos sem o abraçamento radicular. As amostras foram submetidas ao carregamento tangencial de compressão após o período de sete dias de armazenamento em estufa a 37° C e 100% de umidade relativa. Os resultados obtidos foram levados à Análise de Variância (ANOVA) e ao Teste de Tukey. A ANOVA revelou haver pelo menos uma diferença estatística significativa entre as médias obtidas e o Teste de Tukey (p>0,05) mostrou que os melhores resultados de resistência à fratura foram obtidos para os núcleos em resina composta (RC - 71,97kgf - a), que não diferiram dos núcleos confeccionados em ionômero de vidro modificado por resina (IM - 62,15kgf - ab). Entretanto, este não apresentou diferença estatística do ionômero convencional (IV - 51,99kgf - b) e da resina modificada por poliácido (RM - 50,21kgf - b). A análise do padrão de fratura evidenciou que em nenhuma amostra houve fratura radicular, todas as amostras fraturaram na interface pino/núcleo

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.