Affordable Access

IIchnotaxonomy, functional morphology and paleoenvironmental context of Mesosauridae tracks from Permian of Brazil

Authors
Publisher
Zeppelini Editorial
Publication Date
Keywords
  • Geociências
  • Paleontologia
  • Subaqueous Traces
  • Swimming
  • Mesosauridae
  • Permian
  • Paraná Basin
  • Pegadas Subaquáticas
  • Natação
  • Mesosauridae
  • Permiano
  • Bacia Do Paraná

Abstract

Pegadas subaquáticas de vertebrados são relativamente comuns no registro fossilífero, mas há poucos estudos sobre o tema devido à dificuldade na classificação e interpretação. No Brasil, pegadas subaquáticas foram registradas na Formação Irati (Permiano Inferior, Bacia do Paraná). De acordo com características morfológicas e interpretação morfofuncional, os icnofósseis foram designados como um novo táxon, Mesosaurichnium natans igen. nov. et isp. nov., e atribuídos aos répteis basais da família Mesosauridae. Com base na faciologia, os icnofósseis foram produzidos na área de transição entre as zonas de supramaré e intermaré e não corresponderiam à superfície original, pois essa encontrava-se coberta por uma fina camada de fragmentos de carapaças de crustáceos na ocasião da formação das pegadas. Os mesossaurídeos teriam produzido essas pegadas durante a natação próxima ao fundo, tendo a cauda como principal órgão propulsor. Eles seriam capazes de utilizar a cauda como o principal órgão de propulsão para natação rápida sob propulsão ondulatória, mas com o pé em forma de nadadeira atuando como um importante propulsor acessório durante a propulsão oscilatória, conferindo maior capacidade de manobra durante a natação lenta.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.