Affordable Access

História, Literatura e Legados Historiográficos. Entrevista com Sidney Chalhoub

Authors
Publisher
Universidade Federal da Paraíba
Publication Date

Abstract

revista 20.indd sÆculum - REVISTA DE HISTÓRIA [20]; João Pessoa, jan./ jun. 2009. 183 HISTÓRIA, LITERATURA E LEGADOS HISTORIOGRÁFICOS: ENTREVISTA COM SIDNEY CHALHOUB Entrevistadores: Claudia Engler Cury, Elio Chaves Flores e Regina Maria Rodrigues Behar No mês de abril de 2008, o historiador Sidney Chalhoub proferiu a aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em História/UFPB. Depois do trabalho, em meio à degustação da culinária regional, junto às areias orientais de uma praia paraibana, o nosso convidado aceitou gentilmente uma prosa acadêmica sobre o seu ofício de historiador. Evidentemente que já se tinham estruturado os primeiros passos metodológicos para um exercício de história oral, à revelia do próprio aceite: perfil biográfico do historiador e elaboração de uma pauta, um roteiro de questões que pudesse propiciar ao nosso entrevistado a fluência e – por que não dizer − a fruição da prosa que significasse uma espécie de amálgama ao dossiê História e Literatura. Expoente de uma geração de historiadores que, desde o início da década de 1980, realizou pesquisas riquíssimas sobre o cotidiano dos trabalhadores e a história social da escravidão, Sidney Chalhoub lembra, no prefácio à segunda edição do seu livro, Trabalho, Lar e Botequim (Campinas: Editora Unicamp, 2001), que aquela época era “de um estado de excitação política e intelectual, que parecia mais do que idiossincrasia individual”. Diríamos, à moda machadiana, que depois desse livro que se originou de um “mestrado magno”, vieram outras obras, verdadeiros “capítulos de historiografia”. Com efeito, Sidney Chalhoub acabou se tornando um historiador especialista naquele que, dos Oitocentos até aos dias que correm, é (foi e ainda será?) o nosso mais extraordinariamente irônico e alegórico escritor, o Bruxo do Cosme Velho. Sidney Chalhoub confessa que suas crianças nasceram e cresceram enquanto o pai lia e escrevia sobre Machado de Assis, e se dirigiu à comunidade de historiadores na própria verve

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.