Affordable Access

Qualidade fisica, fisiologica e sanitaria de sementes de trigo (Triticum aestivum L.), expurgadas com fosfina durante o armazenamento

Authors
Publisher
Biblioteca Digital da Unicamp
Publication Date
Keywords
  • Trigo
  • Semente
  • Fosfina
  • Fungos

Abstract

Os objetivos deste trabalho foram o de avaliar os efeitos físicos, fisiológicos e sanitários em sementes de trigo, após a aplicação trimestral de 0, 1, 2, 4 e 8 g/m3 de fosfina (PH3), em exposição de 120 horas, durante um período de doze meses de armazenamento. Para tanto, foram utilizadas sementes de trigo dos cultivares IAC-24 e IAC-362, produzidas na safra 2000 no Centro Experimental do Instituto Agronômico de Campinas. Após a colheita, secagem e beneficiamento, as sementes foram devidamente armazenadas em condições ambientais e trimestralmente foram avaliados o grau de umidade, as sementes infestadas, o peso volumétrico, o teste de germinação, o teste de vigor (envelhecimento acelerado) e o teste de sanidade. Os resultados obtidos durante o armazenamento permitiram concluir que: O grau de umidade aumentou no tratamento controle (Dose 0) devido ao ataque de pragas, principalmente o gorgulho. A porcentagem de sementes infestadas aumentou no tratamento controle, sendo que o cultivar IAC-362 foi mais atacado pelas pragas. Nas diferentes dosagens de fosfina aplicadas não ocorreram diferenças significativas. O intenso ataque de pragas conduziu a reduções significativas nos valores de peso volumétrico, no tratamento controle. Os valores de germinação e de vigor apresentaram sensíveis reduções no tratamento controle, devido ao crescente ataque de pragas e fungos de armazenamento, além do efeito adicional do ataque das larvas da traça nos intervalos trimestrais de aplicação da fosfina. Não foi observado um efeito direto da aplicação de fosfina no desenvolvimento de fungos de campo e de armazenamento. Os fungos de campo apresentaram reduções crescentes nas incidências a partir do início do experimento, enquanto que os fungos de armazenamento (Aspergillus spp. e Penicillium spp.) se desenvolveram bem nessas condições, contribuindo para uma redução da porcentagem de germinação e vigor das sementes.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.