Affordable Access

Lithogeochemistry and chemostratigraphy of basalts from Paraná Magmatic Province in the Araçatuba region, State of São Paulo

Authors
Publisher
Zeppelini Editorial
Publication Date
Keywords
  • Área: Geociências
  • Subárea: Geologia
  • Formação Serra Geral
  • Vulcanismo Mesozóico
  • Geoquímica Estratigráfica

Abstract

A Formação Serra Geral no Município de Araçatuba, região noroeste do Estado de São Paulo aflora principalmente no vale do Rio Tietê e de seus afluentes. Com a perfuração de um poço para a captação de água de subsuperfície, foi possível observar e amostrar uma seqüência de 980 metros constituída por 27 derrames, com espessuras individuais variando entre 10 e 84 metros. Foram também coletadas nove amostras de superfície oriundas de três pedreiras desativadas e do leito do Ribeirão Baguaçu. Os dados geoquímicos dessas amostras revelaram tratar-se de basaltos toleíticos do tipo alto-Ti, com concentrações em TiO2 variando entre 1,77% e 3,66%, podendo ser divididos em dois subtipos distintos, denominados de Pitanga e Paranapanema. O primeiro está enriquecido em Nb (8%), K (9%), La (11%), Ce (18%), P (8%), Nd (20%), Zr (19%), Sm (17%), Eu (15%) e Ti (15%) em relação ao segundo. No furo de sondagem os basaltos dos tipos Pitanga e Paranapanema se alternam, sendo que os primeiros estão em contato com os arenitos eólicos da Formação Botucatu, a uma profundidade de 980 metros, seguindo até 748 metros, em uma sucessão de cinco derrames. A partir de então, inicia-se uma nova seqüência de 10 derrames de basaltos do tipo Paranapanema, até uma profundidade de 396 metros, seguida de três derrames de basaltos do tipo Pitanga, até 268 metros. Daí até a superfície é observada uma pilha de 9 derrames de basaltos do tipo Paranapanema, que é sobreposta pelos derrames observados em superfície, todos do tipo Paranapanema. Assim, a quimioestratigrafia estabelecida para a região parece indicar que essa seqüência de rochas vulcânicas pode ter sido abastecida por mais de uma câmara magmática, que extravasaram suas lavas em épocas distintas, iniciando com basaltos do tipo Pitanga, em contato com os arenitos da Formação Botucatu, e encerrando a pilha edificada com aqueles do tipo Paranapanema.

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.