Affordable Access

A Resposta Indonésia à Crise Econômica e Financeira: Está de Volta o Estado Desenvolvimentista?

Authors

Abstract

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo é uma parceria entre o Grupo de Pobreza, Escritório de Políticas para o Desenvolvimento do PNUD e o Governo do Brasil. A Resposta Indonésia à Crise Econômica e Financeira: Está de Volta o Estado Desenvolvimentista? por Degol Hailu, Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo - CIP-CI (IPC-IG) A atual desaceleração econômica está pondo em risco os esforços para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. A pobreza está piorando e postos de trabalho foram perdidos. O Banco Asiático de Desenvolvimento estima que, até 2010, cerca de 100 milhões de pessoas na Ásia cairão na pobreza. A depressão está afetando a Indonésia principalmente através de declínios em suas exportações e fluxos de capitais. Os preços dos seus principais produtos primários de exportação estão caindo. O mercado de ações esteve despencando nos últimos seis meses. Os mercados para os títulos do governo e Certificados indonésios(SBIs) apresentaram um déficit de US$ 2,2 bilhões nos primeiros quatro meses de 2009. Acrescenta- se à crise a pressão inflacionária impulsionada pelos alimentos. Em 2008, o índice de preços ao consumidor (IPC) atingiu 12 por cento, acima dos 6,6 por cento em 2007. Os preços dos alimentos representam 49 por cento do aumento da inflação. O peso do IPC para alimentos é de 36 por cento. Como é que está o governo indonésio respondendo à crise financeira e econômica? No primeiro trimestre de 2009, as exportações de borracha caíram em 32 por cento. Os agricultores são os que têm sofrido mais. Em algumas províncias a extração do látex cessou completamente. A resposta política foi a de cortar os embarques das exportações de borracha em 700.000 toneladas, uma medida cartelizadora que foi tomada em concertação com a Tailândia e a Malásia. A esperança é a de manter os preços elevados e manter constantes os níveis de rendimento, assim como faz a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.