Affordable Access

Estudo da produção de bioemulsificante de Saccharomyces lipolytica por fermentação de oleo-diesel comercial

Authors
Publisher
Biblioteca Digital da Unicamp
Publication Date
Keywords
  • Saccharomyces Lipolytica
  • Hidrocarboneto - Fermentação

Abstract

Grande número de leveduras, bactérias e fungos, são conhecidos pela capacidade que possuem em consumir diversos tipos de hidrocarbonetos, produzindo biomassa de rica composição proteica. Neste tipo de fermentação, esses microrganismos são também responsáveis pela biodegradação do substrato utilizado, através da produção de um bioemulsificante extracelular no meio de fermentação . Esse mecanismo é importante na limpeza e remoção de poluentes de petróleo de ecossistemas contaminados. A biodegradação é acompanhada pela emulsificação do substrato no meio de crescimento, devido à produção de lipoproteínas e lipopolissacarídeos que atuam reduzindo a tensão interfacial e aumentando a área interfacial do substrato no meio. No presente trabalho, a levedura Saccharomyces lipolytica CCT 0913 (NCYC 825), foi cultivada em meios de cultura contendo óleo-diesel comercial como principal fonte de carbono. A influência de três meios de diferentes composições, três níveis de pH (4,00, 4,50 e 5,00) e duas diferentes concentrações de substrato (3 e 5% de óleo-diesel) na produção do bioemulsificante e no rendimento celular, foram estudados. As fermentações foram primeiramente conduzidas em frascos agitados, e depois, já com as melhores condições operacionais selecionadas, em um fermentador de bancada. Nos frascos agitados, o bioemulsificante produzido apresentou uma maior atividade quando se utilizou pH 5,00 e concentração de substrato de 3%. Para essas condições, os valores de rendimento celular foram de 4,7 g/l, 5,7 g/l e 6,3 g/l para os diferentes meios utilizados. O teor de proteína variou de 39,1% a 39,8% em base seca. Os meios de cultura que continham cloreto de amônio como fonte nitrogenada, mostraram maior eficiência que o meio que continha sulfato de amônio.No fermentador de bancada, as condições operacionais foram pH 5,00, com e sem controle ao longo da fermentação, concentração de substrato de 3% e 5%. Obteve-se uma melhora acentuada na produção de biomassa e do bioemulsificante, e uma redução no tempo total de fermentação. O melhor rendimento celular (8,1 g/l), foi conseguido com pH 5,00 controlado e concentração de substrato de 3%. Por sua vez, as maiores atividades do bioemulsificante foram obtidas com pH 5,00 sem controle, e concentração de substrato de 5%

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.