Affordable Access

Download Read

Baudelaire, Benjamin e o Decadentismo

Authors
Publisher
Cadernos Benjaminianos

Abstract

05 Eduardo Veras 1 Baudelaire, Benjamin e o Decadentismo Eduardo Horta Nassif Veras UFMG Resumo: Após breve discussão acerca do conceito de Decadentismo, o artigo busca analisar suas repercussões na obras de Charles Baudelaire e Walter Benjamin. O centro do debate cabe à noção de história extraída da poesia baudelairiana e cotejada com aquela apresentada por Benjamin em seus ensaios, especialmente em “Sobre o conceito de história.” O trabalho pretende demonstrar, finalmente, que a concepção de tempo/história dos autores estudados mantém muitas afinidades e um contato estreito com a visão decadentista de mundo. Palavras-chave: Baudelaire. Benjamin. Decadentismo. História. O século XIX entrou para a história como o século do progresso. O otimismo belle époque, diante dos avanços tecnológicos e da conseqüente melhoria das condições materiais, reivindica para si o direito de representar o estado de espírito daquele século, que amanheceu como uma promessa, após 1789. Paralelamente a esse novo mundo, havia, porém, um sentimento clandestino de desconfiança e pessimismo, que rondava principalmente as grandes metrópoles. A partir especialmente da segunda metade do século, alguns dos grandes artistas da época já prenunciavam o cansaço e a sensação de um mundo em decomposição1 que, mais tarde, seriam os fundamentos de uma corrente estética e filosófica conhecida como Decadentismo. O imaginário da decadência, como se sabe, não é novo. Um dos mitos fundamentais de nossa cultura é o da Queda do Homem e sua expulsão do Paraíso. O mito transmitido no Livro de Gênese, que inspirou milhares de obras no ocidente e serviu de modelo para a compreensão de diversos momentos da história, sugere que a condição humana, pelo menos na Terra, é, a priori, decadente. Essa noção, digamos, essencialista, de decadência, marcou, além de boa parte da tradição cristã, o pensamento de filósofos como Schopenhauer,2 que pode ser tomado como um dos dois pilares do Decadentismo oitocentista

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.