Affordable Access

Avaliação in vitro da alteração de peso e rugosidade superficial de reembasadores resilientes temporarios e resistencia de uniao com a resina acrilica para microondas quando submetidos a agente quimico de limpeza de proteses

Authors
Publisher
Biblioteca Digital da Unicamp
Publication Date
Keywords
  • Agentes Antibacterianos
  • Resistencia Dos Materiais
  • Protese Dentaria

Abstract

Os reembasadores resilientes apresentam uma ampla utilização na prática clínica. O objetivo deste estudo foi avaliar a alteração de peso, rugosidade superficial e resistência de união com a resina acrílica de microondas, de reembasadores resilientes temporários, submetidos a um agente de limpeza de próteses. Amostras de resina (Onda-Cryl) foram divididas em 04 grupos, de acordo com o material reembasador recebido e tratamento de imersão: Gl) reembasadas com Coe-Soft e tratadas com Polident; G2) reembasadas com Coe-Soft e imersas em água (controle); G3) reembasadas com Dentusoft e tratadas com Polident e G4) reembasadas com Dentusoft e imersas em água (controle). Para o teste de resistência de união foram confeccionadas 48 corpos-de-prova para cada grupo; e para alteração de peso e rugosidade superficial foram utilizados 10 corpos-de-prova. As amostras foram mantidas em saliva artificial por 15 dias à 37°C, imersas uma vez ao dia em Polident ou água e avaliadas em 04 tempos: imediatamente após a confecção, após 24 horas, 7 e 15 dias. Os resultados foram submetidos a análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a nível de 5 % de significância. Os resultados mostraram que: A) para alteração de peso (g), houve diferença significante entre os reembasadores avaliados às 24 horas (Coe-Soft:0,66:1:0,1O e Dentusoft: 1,05:1:0, 10). Houve diminuição da alteração de peso às 24 horas e 7 dias, mas não aos 15 dias. Com relação aos tratamentos e tempos avaliados, houve diferença significante entre os tratamentos no 7° dia (Água: 0,25:1:0,13 e Polident: 0,46:1:0,13) e 15° dia (Água:-0,2:1:0,061 e Polident: 0,05:1:0,06). Para o Polident, houve diminuição na alteração do peso com o decorrer o tempo (Oh:0,87:1:0,19; 7dias:0,46:1:0,13 e 15 dias:0,05:1:0,06), enquanto que para a água, houve decréscimo às 24 horas (0,84:1:0,25) e 7 dias (0,25:1:0,13) mas não aos 15 dias (-0,2:1:0,061); B) para rugosidade superficial (11m), houve diferença significativa entre os tratamentos no 7° dia (Água: 3,88:1:0,56 e Polident: 3,31:1:0,47) e 15° dia (Água: 4,65:1:0,83 e Polident: 3,61:1:0,51), mas não às O e 24 horas. Para o tratamento com Polident, houve diferenças significativas entre os tempos de 15 dias (3,61:1:0,51) e 24 horas (3,05:1:0,60), enquanto que com água, a rugosidade superficial aos 15 dias (4,65:1:0,83) foi significativamente maior comparada com os demais tempos (Oh: 3,38:1:0,41; 24h:3,08:1:0,63; 7dias: 3,88:1:0,56); e C) para a resistência de união (MPa) houve diferença significante entre os reembasadores ao serem imersos em água (Coe-Soft: 3,57:1:1,35 e Dentusoft: 3,26:1: 1,32). Em relação aos tratamentos, não houve diferença estatística significante nos diferentes tempos estudados. Os resultados da avaliação da interface de união reembasador-resina, demostraram que a maior porcentagem de falhas observadas foram de tipo coesivas (Coe-Soft: 76,04% e Dentusoft: 82,29 %). Conclui-se que o Polident acarretou maior alteração de peso entre os reembasadores estudados. A rugosidade superficial destes materiais foi maior na água e a resistência de união não foi alterada com os tratamentos

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.