Affordable Access

Intervalos de referência da dopplervelocimetria das artérias oftálmicas em gestantes de baixo risco

Authors
Publisher
Biblioteca Digital da Unicamp
Publication Date
Keywords
  • Doppler
  • Ultrassonografia
  • Artérias
  • Gestantes
  • Dopler
  • Ultrasonography
  • Artery
  • Pregnancy

Abstract

Objetivo: Construir intervalos de referência para os índices da Dopplervelocimetria (DPV) da artéria oftálmica (AOF) e da artéria central da retina (ACR) em gestantes de baixo risco. Avaliar a reprodutibilidade da DPV no leito orbital. Método: Estudo observacional, longitudinal, com acompanhamento de 63 gestantes de baixo risco. Foram aferidos: índice de resistência (IR), índice de pulsatilidade (IP) e pico de velocidade sistólica (P1) em ambas as artérias, além do segundo pico de velocidade (P2) e da razão entre picos de velocidades (RP) da AOF, em intervalos de duas semanas, para construção da curva longitudinal dos índices, ao longo da gestação. Para a análise estatística, foi aplicada regressão linear com modelo de efeitos aleatórios mistos, e foram avaliados os coeficientes de determinação (R2) das correlações encontradas, estimando-se os percentis 5 e 95 para cada artéria em cada idade gestacional. A variabilidade intra e interobservador destas medidas foram avaliadas pelo Coeficiente de Correlação Intraclasse (CCI). Resultados: Foram realizados 2016 exames nas 63 gestantes acompanhadas, entre janeiro de 2008 e março de 2009. Não foi observada diferença entre as medidas realizadas no olho direito e esquerdo, quanto ao IP e ao IR da AOF e da ACR, e quanto à RP na AOF. Encontrou-se correlação entre o IP e o IR da AOF com idade gestacional (IG) (?<0,0001), com tendência à redução de ambos os índices com o aumento da IG. Encontrou-se correlação entre o IP da ACR e a IG (?= 0,0009), também com tendência à redução com o aumento da IG. Não foi observada correlação entre RP da AOF e a IG (?= 0,7384). Apesar das correlações observadas, todos os valores obtidos de R² foram próximos de zero; para o IP e o IR da AOF, foram de 0,0328 e 0,0402, respectivamente. Para IP da ACR o R² foi de 0,0278. Foram estabelecidos os valores de referência segundo IG, para IP e IR de ambas as artérias, e para RP da AOF. Na avaliação da reprodutibilidade do método, encontraram-se bons coeficientes de correlação intraclasses (CCI) entre as medidas realizadas pelo mesmo observador e por observadores diferentes. Conclusão: A avaliação unilateral da DPV orbital é factível para IP e IR da AOF e ACR, e para RP da AOF. Apesar da correlação significativa encontrada entre IG e as variáveis, IP e IR da AOF e IP da ACR, os valores de R² determinados foram baixos e os valores de referência encontrados apresentaram grande dispersão durante todo o período gestacional avaliado. O método apresenta boa reprodutibilidade intraobservador e interobservadores

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.