Affordable Access

Alfabetizar/ensinar história no peart

Authors
Publisher
Universidade Estadual de Londrina
Publication Date
Keywords
  • Bóia-Fria
  • Educação Popular
  • Linguagem
  • Ensino De História
  • Peart.

Abstract

ALFABETIZARfENSINAR HISTÓRIA NO PEART Regina Célia Alegro· Maria das Graças Fernandes" Resumo: Apresenta algumas considerações sobre a prática de alfabetização e ensino de História propostos no PEART Unitermos: bóia-fria; educação popular; linguagem; ensino de história; Peart. Através do espaço para debates e trocas de experiências criado pelo Laboratório de Ensino de História, estamos desenvolvendo um sub­ projeto voltado para a capacitação dos monitores de alfabetização do PEART, para o ensino de História e o acompanhamento do cotidano do processo de ensino-aprendizagem concretizado neste Projeto. No interior do projeto surgem algumas questões que, acreditamos, na medida em que forem exploradas, podem contribuir para a reflexão acerca do ensino de História. O PEART apresenta-se como um projeto de educação popular gestado na prática dos novos movimentos sociais, ou seja, aqueles que emergiram durante o regime militar, sobretudo durante o movimento de redemocrati=ação do país. Estes novos movimentos voltam-se para as bases perseguindo a possibilidade de autonomia, autogestão, cessação de privações de toda ordem, como condições para a liberdade e igualdade pressupostas na idéia de cidadania. (Covre, 1986) , Professora do Departamento de História - Universidade Estadual de Londrina - LondrinalPR •• Professora do Departamento de Educação - Universidade Estadual de Londrina ­ Londrina/PR 44 ALEGRO, R & FERNANDES, M. C. Alfabetizar/ensinar na PEART. De fato, o popular relaciona-se a exclusão cultural, de consumo, de participação nas decisões, etc. Como afirma Montaiio (1994:75) o popular extrapola, reúne e integra conceitos como classe trabalhadora, setor carenciado, entre outros. Nessa perspectiva, a educação popular pretendida no PEART volta-se tanto para as possibilidades não desenvolvidas como para as potencialidades transformadoras dos bóia­ frias. Os bóias-frias, na singularidade do modo como vivem, são a configuração da efemeridade que mar

There are no comments yet on this publication. Be the first to share your thoughts.